15 Anos sem Cacildis!

Há 15 anos atrás morria Antônio Carlos Bernardes Gomes . Ou mais conhecido e amado como MUSSUM!

Aos 53 Anos , faleceu, vítima de complicações causadas por um transplante de coração.

Ainda sem o apelido que o consagrou, Antônio Carlos começou a carreira artística como músico. Na década de 60, formou com amigos Os Originais do Samba. Conciliava o grupo com o posto de cabo da Força Aérea Brasileira, com aprovação dos superiores.

O apelido Mussum surgiu em sua primeira aparição na TV. Em 1965, Os Originais do Samba participaram do humorístico Bairro Feliz, exibido ao vivo pela Globo. No entanto, Antônio Carlos foi ao programa sem a autorização de seus superiores. Durante a apresentação, tentava se esquivar das câmeras.

Tudo corria bem até Grande Otelo deixar cair no chão um livro onde guardou o script, pois não havia decorado o texto. Antônio Carlos teve um ataque de riso. O comediante olhou para o sambista – negro, calvo e sem pelos no rosto – e disparou. “Tá rindo de que, ô mussum?”, em alusão à enguia preta e sem escamas. No começo, Antônio Carlos ficou irritado com o apelido, mas acabou adotando-o como nome artístico.

A carreira como humorista começou em 1967. A convite de Chico Anysio, participou da Escolinha do Professor Raimundo, na Tupi.

A insistência de Manfried Sant’Anna, o Dedé Santana, levou Mussum ao grupo humorístico que o consagrou. Após inúmeros convites, em 1971 ingressou no programa Os Insociáveis, exibido pela Record. Renato Aragão, o Didi Mocó Sonrisélpio Colesterol Novalgino Mufumbo, completava o trio.

Em 1973, os três foram para a Tupi, onde estrearam o programa que teria o mesmo nome com o qual passaram a se apresentar: Os Trapalhões. No mesmo ano, Mauro Faccio Gonçalves, o Zacarias, ingressou no grupo.

Em 1977, estrearam na Globo. Em 1990, com a morte de Zacarias, Os Trapalhões pensaram em parar, mas seguiram em frente em homenagem ao colega. Após a morte de Mussum, o programa resistiu por um ano. Totalmente descaracterizado, deixou de ser exibido em 1995.

Além do programa na TV, Mussum participou de 27 filmes com os colegas humoristas. Estreou nas telonas em 1976, em O Trapalhão no Planalto dos Macacos. Seu último longa-metragem foi Os Trapalhões e a Árvore da Juventude, de 1991.

Veja aqui , alguns dos clássicos ,do Melhor dos Trapalhões na minha Opinião ! CACILDIS!

Este clássico esquete de Os Trapalhões mostra que, se ainda estivesse vivo, Mussum muito provavelmente teria problemas com a tediosa turma do politicamente correto. Aliás, todos os trapalhões. As piadas envolvendo bebidas alcoólicas, cor de pele, orientação sexual, mulheres, armas de fogo, referências a órgãos sexuais e outros assuntos que viraram tabu de uns tempos para cá tirariam o sono daqueles que parecem ter como único objetivo eliminar o livre arbítrio do telespectador.

Atualmente, Mussum é cultuado na internet. Perfis e comunidades em redes sociais homenageiam aquele que também era conhecido como Mussa, Mumu, Fumê e Fumaça. Mussum jamais será esquecido!

fonte poltrona

Anúncios

3 comentários em “15 Anos sem Cacildis!

  1. e em homenagem ao mussum, no Trending Topics de hj no twitter, em segundo lugar está o #mussumday! depois de 15 anos mussum ainda domina!!!!! só no forévis! vou tomá um mé! hahahaha
    beijos me liguis! :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s